Primeira leitura: 2Jo 4-9: 
Aquele que permanece na doutrina é o que possui o Pai e o Filho.
Salmo: Sl 118 (119),1. 2. 10. 11. 17. 18 (R. 1b): 
Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo!
Evangelio: Lc 17,26-37: 
O mesmo acontecerá no dia em que o Filho do Homem for revelado.

 

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Como aconteceu nos dias de Noé, assim também acontecerá nos dias do Filho do Homem. Eles comiam, bebiam, casavam-se e se davam em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca. Então chegou o dilúvio e fez morrer todos eles. Acontecerá como nos dias de Ló: comiam e bebiam, compravam e vendiam, plantavam e construíam. Mas no dia em que Ló saiu de Sodoma, Deus fez chover fogo e enxofre do céu e fez morrer todos. O mesmo acontecerá no dia em que o Filho do Homem for revelado. Nesse dia, quem estiver no terraço, não desça para apanhar os bens que estão em sua casa. E quem estiver nos campos não volte para trás. Lembrai-vos da mulher de Ló. Quem procura ganhar a sua vida, vai perdê-la; e quem a perde, vai conservá-la. Eu vos digo: nessa noite, dois estarão numa cama; um será tomado e o outro será deixado. Duas mulheres estarão moendo juntas; uma será tomada e a outra será deixada. Dois homens estarão no campo; um será levado e o outro será deixado.' Os discípulos perguntaram: 'Senhor, onde acontecerá isso?' Jesus respondeu: 'Onde estiver o cadáver, aí se reunirão os abutres.'

Comentário

O amor do qual fala João na primeira leitura, é um amor prescrito, de obrigação, porque tem seu imperativo em Deus Pai que o manifestou à humanidade. O que o Pai manifestou na carne do Filho, é seu amor. Ao receber o Filho, o fiel aceita esse amor como um imperativo que o move a replicar o que viu e ouviu. O amor cristão é um amor de réplica. O amor mútuo é a relação natural entre cristãos. Esta é a novidade que o cristianismo oferta à humanidade. Num mundo envelhecido pela idolatria do egoísmo, o modo de viver cristão oferece a novidade do amor de Deus. O amor mútuo é um amor que iguala os que o compartem, pois não pode tolerar a iniquidade. Para um mundo enfermo de iniquidade, o amor mútuo, cristão, é terapia de salvação. Onde replicamos o mandamento de Deus Pai? 

Santo do Dia
S. Margarida da Escócia
1070-1093 ? rainha ? \"Margarida? quer dizer \"pérola? mas
lembra também a flor que traz o seu nome

Margarida foi rainha da Escócia em 1070. Exerceu grande influência sobre o rei e marido, Malcolm, inspirando-lhe sentimentos tais que fizeram dele um dos reis mais virtuosos e justos da Escócia. Tiveram seis filhos e duas filhas, que foram educados com sabedoria e afeto. Sem pedir milagres ou fatos extraordinários, buscava a Deus na simplicidade de coração, procurando viver o Evangelho concretamente, no serviço desinteressado a seus semelhantes. Era rainha, sim, mas jamais perdeu a simplicidade de vida. Mulher resoluta, soube conciliar seus deveres sociais e religiosos. Empenhou-se em restaurar os bons costumes, em banir a ignorância, em acabar com a corrupção, a simonia, a usura, as superstições e amparar os necessitados. Jamais sentava-se à mesa sem antes dar de comer aos órfãos e necessitados. Por ocasião do Natal, o rei e ela distribuíam de joelhos esmolas a centenas de necessitados. Amante da paz, tudo fez para evitar as guerras, afirmando que os espólios dos combates nada mais eram que rosários de assassínios e banditismo. Abatida pela morte do marido, morreu em 1093 aos 47 anos de idade.

Editorial y Artículos

Tiempo Ordinario 2022


Editorial

“Dios está cerca, a nuestro alcance. No viene con el poder de quien quiere ser temido, sino con la fragilidad de quien pide ser amado” (Mensaje del Papa Francisco, 55 Jornada Mundial de la Paz, 01 de enero 2022).

Leer más...

 


Celebración de la Palabra


Agua convertida en vino, una fiesta matrimonial


Segundo Domingo Ordinario


Video del P. Fernando Armellini, con el comentario para el evangelio de este Domingo.

 



Claret, no contento con los estudios bíblicos de su época, fue un lector asiduo y constante de la Palabra; apóstol de su lectura.



Artículos Claretianos sobre el Evangelio, una forma privilegiada de hacer lectura orante de la Palabra.



Queremos compartir con ustedes el trabajo musical, artístico, profético y crítico de Héctor Guzmán, misionero claretiano.



Que la Biblia que hoy recibimos, sea nuestra herramienta para contribuir en la construcción del Reino de Dios.