Consulta diaria

Primeira leitura: Ef 2,12-22: 
Ele é a nossa paz: do que era dividido, ele fez uma unidade.
Salmo: Sl 84,9ab-10. 11-12. 13-14 (R. Cf 9): 
O Senhor anunciará a paz para o seu povo.
Evangelio: Lc 12,35-38: 
Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar.

 

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Que vossos rins estejam cingidos e as lâmpadas acesas. Sede como homens que estão esperando seu senhor voltar de uma festa de casamento, para lhe abrir em, imediatamente, a porta, logo que ele chegar e bater. Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar. Em verdade eu vos digo: Ele mesmo vai cingir-se, fazê-los sentar-se à mesa e, passando, os servirá. E caso ele chegue à meia-noite ou às três da madrugada, felizes serão, se assim os encontrar!

 

Comentário

Os seres humanos se realizam na convivência com as demais pessoas e se enriquecem no encontro com cada uma delas. Extraordinário foi o encontro do Papa Paulo VI com Atenágoras, Patriarca de Constantinopla, há pouco mais de 50 anos. Um abraço de reconciliação entre a Igreja do Ocidente e a do Oriente. Um encontro histórico de grande valor ecumênico. Por experiência própria, sabemos que a convivência nem sempre é pacífica. Paulo fala da unidade e da paz da comunidade graças a Cristo Jesus que derrubou o muro que os separava. A nova vida recebida nele transforma nossas relações e gera fraternidade e sororidade universal.

No encontro diário com Deus e com os outros, Jesus convida-nos a estarmos vigilantes, trabalhando na construção da comunidade para que, se o Senhor chegar à meia-noite, nos encontre a fazer o nosso trabalho normal, de forma extraordinária, como dizia Teresa de Calcutá. Quais são os muros que separam o seu país? Eles podem ser derrubados?

Santo do Dia
S. Irene ou Iria
séc. VI ? virgem e mártir ? \"Irene? quer dizer \"aquela que é

de paz?, que trabalha pela paz, que é \"pacífica? Irene ou Iria é venerada na Espanha e especialmente em Portugal. Viveu por volta de 550, em um mosteiro português. Segundo a tradição, era uma jovem de singular beleza por quem um jovem, chamado Britaldo, se apaixonou. Como Irene já houvesse optado pela vida consagrada, sua decisão foi respeitada. Perante esse amor impossível, o jovem apaixonado entrou em depressão e deixou-se prostrar no leito. Comovida, Irene foi visitá-lo, confortando-o com a promessa de jamais se casar com outro. Aconteceu que S. Irene tinha como conselheiro espiritual um monge chamado Remígio que, vencido por sua beleza, quis seduzi-la. Como Irene resistisse às insinuações, um dia o monge administrou-lhe uma bebida misteriosa que fê-la tomar o aspecto de gestante. Crendo-se traído, Britaldo mandou matá-la. Seu corpo foi lançado nas águas do rio Nabão. Célio, seu irmão, que era abade, descobriu, porém, a verdade. Todos se puseram a procurá-la pelas águas dos rios Nabão, Zêzere e Tejo. Seu cadáver foi encontrado nas águas do Tejo, junto à cidade de Scálabis, que passou a chamar-se Santarém, em memória de S. Irene.