Consulta diaria


Primeira leitura: Is 4,2-6: 
Haverá grande alegria para os sobreviventes de Israel.
Salmo: Sl 121 (122), 1-2. 3-4a. (4b-5. 6-7) 8-9 (R. 1): 
Que alegria, quando me disseram: 'Vamos à casa Senhor!'
Evangelio: Mt 8,5-11:
Muitos virão do Oriente e do Ocidente e se sentarão à mesa no Reino dos Céus.

 

 

Naquele tempo: Quando Jesus entrou em Cafarnaum, um oficial romano aproximou-se dele, suplicando: 'Senhor, o meu empregado está de cama, lá em casa, sofrendo terrivelmente com uma paralisia.' Jesus respondeu: 'Vou curá-lo.' O oficial disse: 'Senhor, eu não sou digno de que entres em minha casa. Dize uma só palavra e o meu empregado ficará curado. Pois eu também sou subordinado e tenho soldados debaixo de minhas ordens. E digo a um: 'Vai!', e ele vai; e a outro: 'Vem!', e ele vem; e digo ao meu escravo: 'Faze isto!', e ele faz.' Quando ouviu isso, Jesus ficou admirado, e disse aos que o seguiam: 'Em verdade, vos digo: nunca encontrei em Israel alguém que tivesse tanta fé. Eu vos digo: muitos virão do Oriente e do Ocidente, e se sentarão à mesa no Reino dos Céus, junto com Abraão, Isaac e Jacó.

Comentário

Nada de estranho acaba por parecer desamparado diante do mal desenfreado do ambiente, ou porque a retidão e a justiça parecem esmagadas, inclusive pelos mecanismos que as protegem. Em qualquer cidade, os índices de insegurança aumentam, embora os discursos políticos propagam o contrário; em qualquer instituição, podemos nos deparar com abusos de autoridade e ineficiências que acabam enterrando boas intenções e projetos. O panorama parece tão desanimador que nos esquecemos de que há uma luz que nunca se apaga; existe uma reserva de vida que surge da mesma palavra de Deus. O cristão, como Isaías, talvez se senta abatido pela avalanche de crimes e injustiças que inundam a cidade, mas não pode cair na desesperança. Sua profunda identidade profética o leva a trabalhar pela justiça até que a presença do Senhor brilhe no meio do seu povo. Essa força lhe vem de Cristo, porque a palavra de Deus foi semeada em seu coração para torná-lo filho da luz. O cristão. Ungido, é o rebento do Senhor.

Santo do Dia
B. João Ruysbroeck
1293-1381 ? fundador \"João? significa \"Deus é benigno,
complacente, misericordioso?.

Nasceu em 1293, em Ruys broeck, nos arredores de Bruxelas. Em 1318 foi ordenado sacerdote. Fundou uma pequena comunidade em Groenendeael (\"o vale ver de?), onde foi prior até a morte. Ali se entregava a uma vida de grande simplicidade, em contato com a natureza. A ele acorria personalidade do mundo inteiro. Pôs-se a escrever suas experiências espirituais, legando-nos numerosas obras, entre as quais, O reino dos amantes de Deus; As núpcias espirituais; O livro da mais alta verdade; O espelho da salvação eterna, O livro dos sete fachos; Os sete graus de amor espiritual; A pedra brilhante; Os doze pontos da verdadeira fé; As quatro tentações... Dizem que tomando conhecimento da grave doença que o acometera e que morreria em breve, pediu humildemente que o acomodassem na enfermaria comum dos irmãos. Ardendo em febre e disenteria, passou vários dias esperando que Deus o chamasse. Morreu rodeados pelos irmãos em oração e tinha o rosto radioso e sem os sinais ordinários dos agonizantes. \"Era o ano do Senhor de 1381, no dia oitavo da Beata Catarina, virgem e mártir. Tinha já mais de 88 anos e era padre havia cerca de 64 ? (apud Leite, J. op. cit. Vol. III, p. 376).