Consulta diaria


Primeira leitura: Is 55,10-11: 
A chuva faz a terra germinar.
Salmo: Sl 33, 4-5. 6-7. 16-17. 18-19 (R. 18b): 
O Senhor liberta os justos de todas as angústias.
Evangelio: Mt 6,7-15: 
Vós deveis rezar assim.

 

 

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Quando orardes, não useis muitas palavras, como fazem os pagãos. Eles pensam que serão ouvidos por força das muitas palavras. Não sejais como eles, pois vosso Pai sabe do que precisais, muito antes que vós o peçais. Vós deveis rezar assim: Pai Nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como nos céus. O pão nosso de cada dia dá-nos hoje. Perdoa as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal. De fato, se vós perdoardes aos homens as faltas que eles cometeram, vosso Pai que está nos céus também vos perdoará. Mas, se vós não perdoardes aos homens, vosso Pai também não perdoará as faltas que vós cometestes.

Comentário

A oração na vida cristã e em fidelidade à proposta de Jesus de Nazaré, é um projeto pessoal que tem Deus como garantia da vida, da verdade, da justiça, da bondade, do perdão, da reconciliação e da paz. A oração de Jesus é toda a vida dele, a maneira como ele compreendeu e se relacionou no amor com seu Pai Deus e a forma como ele estabeleceu relação com os outros e com a criação. Em Jesus a oração não é um apêndice, como muitas vezes acontece conosco. Em Jesus, que é um homem que soube se configurar com Deus, a oração é a extensão de sua própria vida. A oração expressa a ação que Deus realiza nele. Por isso é importante, na hora de rezar o “Pai-Nosso”, que caiamos na conta que devemos apropriar-nos desse projeto. Orar é ir configurando a vida, segundo o desígnio-vontade de Deus para nossa vida. Comecemos já, portanto!

Santo do Dia
S. Gregório de Nissa
séc. IV ? bispo ? \"Gregório? quer dizer \"vigilante?

Natural do Ponto, Capadócia, Gregório nasceu por volta de 335. Com seu irmão, S. Basílio, a quem devotava a maior veneração e tinha como pai e mestre, e Gregório de Nazianzeno, foram considerados os  \"Luminares da Capadócia? . De fato, se Basílio era o braço que atuava, Gregório de Nazianzeno a boca que falava, Gregório era a cabeça que pensava. Antes de se tornar bispo de Nissa, Gregório de Nissa foi casado, mas não demorou muito ficou viúvo, quando tudo abandonou para viver na solidão em companhia do irmão Basílio, às margens do rio Íris. Mestre de literatura, homem de vasta leitura, conhecia as obras de Filão, Orígenes, Plotino, Porfírio, Giamblico. Foi sagrado bispo de Nissa por S. Basílio, que havia assumido na Capadócia a luta contra o arianismo, doutrina que negava a natureza divina de Jesus. Entretanto, em 372, o ariano Demóstenes, governador da região, mandou prendê-lo sob a acusação de mal administrar os bens eclesiásticos a favor dos pobres. Ajudado por seu irmão,Basílio, Gregório fugiu de Nissa e se refugiou em uma das muitas propriedades da família, voltando a assumir o bispado somente mais tarde, em 378, com a morte do imperador ariano Valente. Em 381, participou do I Concílio de Constantinopla, convocado por Teodósio, ocasião em  que se formulou a doutrina da Santíssima Trindade e se refutou o arianismo.