Consulta diaria

Primeira leitura: Fl 2,1-4: 
Tornai completa a minha alegria: aspirai à mesma coisa.
Salmo: Sl 130,1.2.3: 
Guardai-me, ó Senhor, convosco, em vossa paz!
Evangelio: Lc 14,12-14: 
Não convides teus amigos mas, os pobres e os aleijados.

 

Naquele tempo: E disse também a quem o tinha convidado: 'Quando tu deres um almoço ou um jantar, não convides teus amigos, nem teus irmãos, nem teus parentes, nem teus vizinhos ricos. Pois estes poderiam também convidar-te e isto já seria a tua recompensa. Pelo contrário, quando deres uma festa, convida os pobres, os aleijados, os coxos, os cegos. Então tu serás feliz! Porque eles não te podem retribuir. Tu receberás a recompensa na ressurreição dos justos.

Comentário

O que Paulo recomenda aos cristãos continua tendo vigência, e acaba sendo revolucionário em muitos ambientes. A sociedade na qual vivemos, consumista e regida pelo mercado, empurra para o contrário, impor-se aos demais, e "dividir para vencer", como susurra a estratégia do poder. Os meios eclesiais não estão isentos desse afã de domínio que se infiltrou em alguns deles, onde a frivolidade e a vanglória sufocam o Evangelho. Jesus ensina algo contrário à reciprocidade na honra social que mantém o equilíbrio ou o status quo entre iguais. No banquete se expressava a solidariedade e a comunhão sociais. Jesus critica esse modo de solidariedade social porque deixa fora os mais necessitados de integração social e de comida. Pobres, coxos e cegos eram excluídos das liturgias do templo, que era a melhor expressão de saúde e santidade. A santidade promovida por Jesus vai em sentido contrário à convencional. O ponto de ruptura está na dívida que aqueles excluídos contraem com seu benfeitor, quando este os transforma em comensais seus, em seus próximos. 

Santo do Dia
Bem-aventurada Francisca D?Amboise

1427-1485 ? carmelita ? \"Francisca? lembra pessoa livre, 
sincera, independente

Francisca d?Amboise nasceu na França, em 1427. De família nobre, foi uma duquesa bretã e depois carmelita. Em 1441, casou-se com um dos filhos de João V. Em 1450, Pedro II, seu marido, tornou-se o sucessor de Francisco I da Bretanha. Francisca jamais se esqueceu de voltar seu coração a Deus e a praticar o verdadeiro amor. Interessada por questões religiosas, apoiando monges e monjas, construindo-lhes vários mosteiros. Em 1457, quando Pedro II morreu, Francisca abandonou tudo e ingressou, em 1468, na ordem carmelita. Em 1475 foi eleita prioresca. Faleceu em 1485.