Consulta diaria

Primeira leitura: Est 5,1b-2; 7,2b-3: 
Concede-me a vida do meu povo - eis o meu desejo!
Salmo: Sl 44(45),11-12a.12b-13.14-15a.15b-16 (R. 11.12a): 
Escutai, minha filha, olhai, ouvi isto: que o Rei se encante com vossa beleza!
Segunda leitura: Ap 12,1.5.13a.15-16a: 
Um grande sinal apareceu no céu.
Evangelio: Jo 2,1-11: 
Fazei o que ele vos disser.

 

Naquele tempo: Houve um casamento em Caná da Galileia. A mãe de Jesus estava presente. Também Jesus e seus discípulos tinham sido convidados para o casamento. Como o vinho veio a faltar, a mãe de Jesus lhe disse: "Eles não têm mais vinho". "Mulher, por que dizes isto a mim? Minha hora ainda não chegou." Sua mãe disse aos que estavam servindo: "Fazei o que ele vos disser". Estavam seis talhas de pedra colocadas aí para a purificação que os judeus costumam fazer. Em cada uma delas cabiam mais ou menos cem litros. Jesus disse aos que estavam servindo: "Enchei as talhas de água". Encheram-nas até a boca. Jesus disse: "Agora tirai e levai ao mestre-sala". E eles levaram. O mestre-sala experimentou a água, que se tinha transformado em vinho. Ele não sabia de onde vinha, mas os que estavam servindo sabiam, pois eram eles que tinham tirado a água. O mestre-sala chamou então o noivo e lhe disse: "Todo mundo serve primeiro o vinho melhor e, quando os convidados já estão embriagados, serve o vinho menos bom. Mas tu guardaste o vinho melhor até agora!" Este foi o início dos sinais de Jesus. Ele o realizou em Caná da Galileia e manifestou a sua glória, e seus discípulos creram nele.

Comentário

 

A Solenidade de hoje recorda a proteção da Virgem Maria, sua presença materna e consoladora, experimentada em 1717, por três pobres pescadores, na aurora de nossa história Mariana Nacional. As redes vazias dos pobres quase se romperam pela abundância de peixes, após o "aparecimento" da imagem enegrecida da Imaculada Conceição. Desde então, aquela imagenzinha humilde recorda ao povo brasileiro a presença materna da Mãe do Senhor na nossa história e na nossa terra. A festa é nossa, do povo brasileiro. Hoje, por todo o território nacional, gente de todas as raças que fazem esta Nação, canta com devota gratidão: "Viva a Mãe de Deus e nossa, sem pecado concebida! Salve a Virgem Imaculada, a Senhora Aparecida!"

O livro de Ester narra a libertação do povo que está no exílio. Ester, jovem judia, é tomada como esposa pelo imperador. O povo é condenado à morte por Amã e ela atua como mediadora, intercede junto ao rei, inverte a situação e salva seu povo.

Maria de Nazaré surge como intermediária entre a realidade dos pobres e Jesus como Messias. Por um lado, ela avisa seu filho sobre a necessidade dos noivos e dos convidados. Ela nada pede, mas faz uma insinuação gentil, sutil. Jesus não reconhece ser aquele o momento que o Pai escolheu para ser "sua hora". A mãe não insiste com o filho, mas muda de relação, passando para o nível da fé. O amor profundo e sua comunhão com ele expressam-se nas palavras dirigidas aos servidores: "Fazei tudo o que ele vos disser."

A liturgia de hoje nos convida a contemplar a mãe de Jesus como uma mulher maravilhosa que não acompanha os projetos deste mundo, mas luta para que se realize o que Deus sonhou para a humanidade. Maria é símbolo dessa humanidade que realiza o projeto de Deus e faz o "que Jesus mandou". Nossas comunidades se parecem com Maria do Evangelho, com a mulher do Apocalipse, com Ester que luta pela vida de seu povo?

Fonte: Folheto "O Dia do Senhor" - Diocese de Colatina - ES

Oração

Mãe Aparecida, como Vós um dia, assim me sinto hoje diante do vosso e meu Deus, que nos propõe para a vida uma missão cujos contornos e limites desconhecemos, cujas exigências apenas vislumbramos. Mas, em vossa fé de que “para Deus nada é impossível”, Vós, ó Mãe, não hesitastes, e eu não posso hesitar. Assim, ó Mãe, como Vós, Eu abraço minha missão. Em vossas mãos coloco minha vida e vamos Vós-Mãe e Eu-Filho caminhar juntos, crer juntos, lutar juntos, vencer juntos como sempre juntos caminhastes vosso Filho e Vós.

Mãe Aparecida, um dia levastes vosso Filho ao templo para consagrá-lo ao Pai, para que fosse inteira disponibilidade para a missão. Levai-me hoje ao mesmo Pai, consagrai-me a Ele com tudo o que sou e com tudo o que tenho. Mãe Aparecida, ponho em vossas mãos, e levai até o Pai a nossa e vossa juventude: quanta força, quanta vida, quanto dinamismo brotando e explodindo e que podem estar a serviço da vida, da humanidade.

Finalmente, ó Mãe, vos pedimos: permanecei aqui, sempre acolhendo vossos filhos e filhas peregrinos, mas também ide conosco, estai sempre ao nosso lado e acompanhai na missão a grande família dos devotos, principalmente quando a cruz mais nos pesar, sustentai nossa esperança e nossa fé. (Papa Francisco)

Santo do Dia

Nossa Senhora Aparecida


A imagem de N. S. da Conceição Aparecida foi encontrada em 1717, no rio Paraíba por alguns pescadores. Por cerca de 20 anos, o pescador Filipe Cardoso conservou a imagem em sua casa. Depois foi-lhe construída uma capelinha onde permaneceu por 143 anos até ser levada, em 1888, para a Basílica Velha. Em 1980 foi entronizada na Basílica Nova, inaugurada por João Paulo II. É invocada com a seguinte oração:
Lembrai-vos, ó Clementíssima Mãe Aparecida, que nunca se ouviu dizer que alguns daqueles que têm recorrido, invocado vosso santíssimo nome e implorado vossa singular proteção, fosse por vós abandonado. Animados com essa confiança a vós recorremos, tomando-vos de hoje para sempre por nossa mãe, nossa protetora, consolação e guia, esperança e luz na hora da morte. Senhora, livrai-nos de tudo o que possa ofender-vos e a vosso santíssimo Filho, nosso Redentor e nosso Senhor Jesus Cristo. Virgem bendita, preservai-nos de todos os perigos da alma e do corpo; dirigi-nos em todos os negócios espirituais e temporais. Soberana Senhora, livrai-nos da tentação do demônio, de todos os males que nos ameaçam, para que, trilhando o caminho da virtude, possamos, um dia, ver-vos e amar-vos na eterna glória por todos os séculos dos séculos. Amém.