Consulta diaria

Primeira leitura: At 20,28-38: 
Entrego-vos a Deus e à mensagem de sua graça, que tem poder para edificar.
Salmo: Sl 67, 29-30. 33-35a. 35b-36c (R. 33a): 
Reinos da terra cantai ao Senhor.
Evangelio: Jo 17,11b-19: 
Para que eles sejam um assim como nós somos um

 

Naquele tempo: Jesus ergueu os olhos ao céu e disse: Pai santo, guarda-os em teu nome, o nome que me deste, para que eles sejam um assim como nós somos um. Quando eu estava com eles, guardava-os em teu nome, o nome que me deste. Eu guardei-os e nenhum deles se perdeu, a não ser o filho da perdição, para se cumprir a Escritura. Agora, eu vou para junto de ti, e digo estas coisas, estando ainda no mundo, para que eles tenham em si a minha alegria plenamente realizada. Eu lhes dei a tua palavra, mas o mundo os rejeitou, porque não são do mundo, como eu não sou do mundo. Não te peço que os tires do mundo, mas que os guardes do Maligno. Eles não são do mundo, como eu não sou do mundo. Consagra-os na verdade; a tua palavra é verdade. Como tu me enviaste ao mundo, assim também eu os enviei ao mundo. Eu me consagro por eles, a fim de que eles também sejam consagrados na verdade.

Comentário

A Igreja é chamada a continuar a missão de Jesus: revelar quem é Deus e quem são o homem e a mulher. Deus é o amor que se estabelece na relação de reciprocidade entre o Pai e o Filho. O homem e a mulher são as criaturas chamadas a viver em toda experiência relacional que estabelecerem, esse mesmo amor que as pessoas da Santíssima Trindade vivem. A vida de unidade e fraternidade que se vive na experiência comunitária é a que manifesta ao mundo inteiro a glória da qual fala o Filho. A Igreja é chamada a refletir a vida do céu aqui na terra. Não é tarefa fácil. Tampouco é impossível. Isto é o que Jesus nos pede no Capítulo 17 de João. O maior milagre é que Deus se revela à criação, obra de suas mãos, e a diviniza para louvor dele e para que a salvação chegue à humanidade. A vida de comunidade é a única que torna possível o mistério da Ressurreição. Só se descobre Jesus Crucificado-Ressuscitado em comunidade.

Santo do Dia
S. André Bobola

1591-1657 ? jesuíta ? \"André? quer dizer \"varonil?, \"robusto?.


André Bobola foi um sacerdote jesuíta nascido em Pultondsk, Polônia, em 1591. Por volta de 1625, percorreu a Lituânia inteira, pregando a unidade entre os cristãos, reconduzindo muitos à fé cristã. Enfrentou, com coragem, determinação e paciência, a perseguição dos opositores não católicos, representados na sua maioria pelos cossacos. Os conflitos, entretanto, intensificaram-se, obrigando os jesuítas a abandonar tudo e buscar refúgio em Pinsk. Aos 16 de maio de 1657, encontrava-se em Janow, quando foi preso pelos cossacos que o acossaram feito um animal até Pinsk, fazendo-o correr e arrastar-se atrás de seus cavalos. Encerraram-no em um matadouro para lentos suplícios: o corpo foi sapecado, parte da pele retirada, foi escalpelado e mutilado, teve os olhos vazados e a língua arrancada. Foi canonizado por Pio XI, em 1938, que o declarou padroeiro da Polônia.