Consulta diaria

Primeira leitura: Hb 12,18-19.21-24: 
Vós vos aproximastes do monte Sião e da cidade do Deus vivo.
Salmo: Sl 47, 2-3a. 3b-4. 9. 10-11 (R. Cf. 10): 
Recordamos, ó Senhor, vossa bondade em meio ao vosso templo.
Evangelio: Mc 6,7-13: 
Começou a enviá-los.

4a SEMANA DO TEMPO COMUM

Naquele tempo: Jesus chamou os doze, e começou a enviá-los dois a dois, dando-lhes poder sobre os espíritos impuros. Recomendou-lhes que não levassem nada para o caminho, a não ser um cajado; nem pão, nem sacola, nem dinheiro na cintura. Mandou que andassem de sandálias e que não levassem duas túnicas. E Jesus disse ainda: 'Quando entrardes numa casa, ficai ali até vossa partida. Se em algum lugar não vos receberem, nem quiserem vos escutar, quando sairdes, sacudi a poeira dos pés, como testemunho contra eles!' Então os doze partiram e pregaram que todos se convertessem. Expulsavam muitos demônios e curavam numerosos doentes, ungindo-os com óleo.

 

Comentário

Jesus envia os Doze em Missão. Este mandato que deu àquele grupo de amigos íntimos é uma ordem que atinge todos os batizados por extensão. A missão é a identidade da Igreja. Quem conhece a causa de Jesus, através do batismo, é chamado a viver a missão de anunciar a Boa Nova. A Missão consiste em levar felicidade, alegria, cura, esperança às pessoas que recebem a Boa Nova. A missão é o compromisso que o discípulo tem de ampliar e propagar o projeto de humanização desejado por Deus e inaugurado por Jesus, tornando possível um outro mundo. É aqui que está em jogo a Igreja, hoje mais do que nunca, a sua credibilidade. Por isso, devemos dizer Não a uma missão que faz do cristianismo uma questão doutrinal-teórica, moralista e espiritualista. Não para uma missão que gera um cristianismo eclesiocêntrico. Não a uma missão desencarnada da história, da realidade política, da cultura de um povo.

Santo do Dia
S. José de Leonissa
1556-1612 ? religioso capuchinho ? o nome de batismo era
\"Eufrônio?, que significa \"benévolo? ? \"José? quer dizer \"que
Deus acrescente?

O frei capuchinho José de Leonissa nasceu em Leonessa, Abruzo, Itália. Em 1687, foi enviado como missionário à Constantinopla, na Turquia, onde se entregou inteiramente ao serviço dos doentes e escravizados. Seu trabalho missionário foi frutuoso, operando a conversão até mesmo do próprio governador. Entretanto, ao tentar a conversão do sultão, foi preso e condenado ao cruel suplício do gancho, que consistia em ser amarrado a um poste, com uma das mãos presa a uma corrente e cravado por um pé num gancho. Segundo a tradição, foi libertado por um Anjo, retornando, então, à Itália, onde continuou a pregar o evangelho, a ensinar catecismo aos camponeses e crianças pobres das aldeias. Visitava os encarcerados, assistia os condenados à morte, consolava as famílias em aflição, procurava erradicar as injustiças, as opressões... Passava noites em oração diante do Tabernáculo e, seguido pelo povo em procissão, carregava aos ombros pesadas cruzes que plantava nos montes. No fim da vida padeceu cruel doença que, aos poucos, o consumiu. Morreu no dia 4 de fevereiro de 1612, sendo beatificado em 1713 e canonizado em 1746.


Outros santos do dia: André Corsini (bispo), Catarina de Ricci (virgem), Joana de Valois (rainha, viúva, fundadora) e João de Britto (jesuíta, mártir na Índia).