Consulta diaria

Primeira leitura: Hb 6,10-20: 
A esperança, com efeito, é para nós qual âncora da vida, segura e firme.
Salmo: Sl 110, 1-2. 4-5. 9.10c (R. 5b): 
O Senhor se lembra sempre da Aliança.
Evangelio: Mc 2,23-28: 
O Filho do Homem é Senhor também do sábado.

2a SEMANA DO TEMPO COMUM

Jesus estava passando por uns campos de trigo, em dia de sábado. Seus discípulos começaram a arrancar espigas, enquanto caminhavam. Então os fariseus disseram a Jesus: 'Olha! Por que eles fazem em dia de sábado o que não é permitido?' Jesus lhes disse: 'Por acaso, nunca lestes o que Davi e seus companheiros fizeram quando passaram necessidade e tiveram fome? Como ele entrou na casa de Deus, no tempo em que Abiatar era sumo sacerdote, comeu os pães oferecidos a Deus, e os deu também aos seus companheiros? No entanto, só aos sacerdotes é permitido comer esses pães'. E acrescentou: 'O sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado. Portanto, o Filho do Homem é senhor também do sábado'.

 

Comentário

Um dos problemas mais complexos de todas as religiões, e também do cristianismo, é a tendência de "absolutizar o relativo e relativizar o absoluto". A religião é especialista em fazer "legalismos", em dominar a lei e em menosprezar o Espírito. Isso é o que Jesus condena no Evangelho.A religião tem a capacidade de fazer a lei se tornar uma realidade pervertida e opressora. O sábado nasceu como uma experiência de libertação, de humanização, de protesto contra o sistema escravista egípcio.Mas, com o tempo, tornou-se finalidade, não mediação, como era originalmente. O sábado tornou-se uma prisão, uma tragédia, um fardo insuportável, em vez de garantir vida e dignidade, gerou desumanização e morte. O sábado, manipulado pela classe religiosa, deixou de ser a proposta libertária que era no início. Jesus colocou a vida acima de qualquer preceito religioso, para sempre. Infelizmente, o cristianismo se esqueceu de Jesus voltando aos esquemas legalistas.

Santo do Dia
S. Margarida Bourgeoys
séc. XVII ? religiosa e fundadora ? \"Margarida?, além de
\"pérola?, lembra a flor do mesmo nome

Margarida Bourgeoys foi a fundadora da Congregação de N. Senhora de Montreal. Aos 20 anos, quis ingressar na vida religiosa, mas foi recusada pelas carmelitas e clarissas pobres. Em 1653, partiu com o governador para o Canadá, onde se tornaria mestra-escola da comunidade francesa de Ville-Marie, próxima de Quebec. Em 1658, abriu a primeira escola de Montreal, abrigando 12 crianças. Animada por profundo amor aos pequeninos, enfrentou toda sorte de dificuldades para ver realizada sua obra missionária. Não desejava apenas amar as crianças, mas também se fazer amada por elas. Bondosa, alegre, simples, despojada, era estimada por todos. Morreu no dia 12 de janeiro de 1700.

Outros santos do dia: Alberto de Cashel (bispo), Arcôncio de Viviers (bispo, mártir), Canuto IV da Dinamarca (rei, mártir), Januário e Companheiros (mártires da Numídia).