Consulta diaria

Primeira leitura: Is 65,17-21: 
Nunca mais se ouvirá a voz do pranto e o grito de dor.
Salmo: Sl 29, 2.4. 5-6. 11.12a.13b (R.2a): 
Eu vos exalto, ó Senhor, pois me livrastes!
Evangelio: Jo 4,43-54: 
Vai, teu filho está vivo.

Naquele tempo: Jesus partiu da Samaria para a Galileia. O próprio Jesus tinha declarado, que um profeta não é honrado na sua própria terra. Quando então chegou à Galiléia, os galileus receberam-no bem, porque tinham visto tudo o que Jesus havia feito em Jerusalém, durante a festa. Pois também eles tinham ido à festa. Assim, Jesus voltou para Caná da Galileia, onde havia transformado a água em vinho. Havia em Cafarnaum um funcionário do rei que tinha um filho doente. Ouviu dizer que Jesus tinha vindo da Judéia para a Galileia. Ele saiu ao seu encontro e pediu-lhe que fosse a Cafarnaum curar seu filho, que estava morrendo. Jesus disse-lhe: 'Se não virdes sinais e prodígios, não acreditais.' O funcionário do rei disse: 'Senhor, desce, antes que meu filho morra!' Jesus lhe disse: 'Podes ir, teu filho está vivo.' O homem acreditou na palavra de Jesus e foi embora. Enquanto descia para Cafarnaum, seus empregados foram ao seu encontro, dizendo que o seu filho estava vivo. O funcionário perguntou a que horas o menino tinha melhorado. Eles responderam: 'A febre desapareceu, ontem, pela uma da tarde'. O pai verificou que tinha sido exatamente na mesma hora em que Jesus lhe havia dito: 'Teu filho está vivo'. Então, ele abraçou a fé, juntamente com toda a sua família. Esse foi o segundo sinal de Jesus. Realizou-o quando voltou da Judeía para a Galileia.

Comentário

Aqueles que foram obrigados a deixar para trás aquilo que amaram, família, amigos e sua terra, sonham retomar sua vida, mas em plenitude: tranquila, produtiva e feliz. Este dia é o que revive o Terceiro Isaías contemplando a decrépita Jerusalém de seus amores. O profeta é alguém casado com esse sonho que Deus reparte com ele. Qual é nosso sonho? O que queremos transformar? A Quaresma nos dá a oportunidade de renovar nas águas batismais nossa força profética. Sabemos que uma transformação que não passa pelo mistério pascal de Jesus, não é um ideal cristão, pois não vem de Deus. Pensemos, por exemplo no que Jesus realiza ao curar o filho do administrador real, ou seja, alguém que trabalhava para os herodianos, e que teria um status social estável, odiado por alguns e invejado por outros, mas que não tinha a garantia de uma vida plena; os pais com filhos que morreram, poderão dizê-lo melhor. Demo-nos, pois, a oportunidade de sonhar o sonho de Deus para a toda a humanidade, e trabalhemos nele com fé cristã.

Santo do Dia

S. Gregório de Nissa

séc. IV ? bispo ? \"Gregório? quer dizer \"vigilante?

Natural do Ponto, Capadócia, Gregório nasceu por volta de 335. Com seu irmão, S. Basílio, a quem devotava a maior veneração e tinha como pai e mestre, e Gregório de Nazianzeno, foram considerados os \"Luminares da Capadócia? . De fato, se Basílio era o braço que atuava, Gregório de Nazianzeno a boca que falava, Gregório era a cabeça que pensava. Antes de se tornar bispo de Nissa, Gregório de Nissa foi casado, mas não demorou muito ficou viúvo, quando tudo abandonou para viver na solidão em companhia do irmão Basílio, às margens do rio Íris. Mestre de literatura, homem de vasta leitura, conhecia as obras de Filão, Orígenes, Plotino, Porfírio, Giamblico. Foi sagrado bispo de Nissa por S. Basílio, que havia assumido na Capadócia a luta contra o arianismo, doutrina que negava a natureza divina de Jesus. Entretanto, em 372, o ariano Demóstenes, governador da região, mandou prendê-lo sob a acusação de mal administrar os bens eclesiásticos a favor dos pobres. Ajudado por seu irmão,Basílio, Gregório fugiu de Nissa e se refugiou em uma das muitas propriedades da família, voltando a assumir o bispado somente mais tarde, em 378, com a morte do imperador ariano Valente. Em 381, participou do I Concílio de Constantinopla, convocado por Teodósio, ocasião em que se formulou a doutrina da Santíssima Trindade e se refutou o arianismo.