Consulta diaria

Primeira leitura: 1Rs 12,26-32; 13,33-34: 
Jeroboão fez dois bezerros de ouro.
Salmo: Sl 105, 6-7a. 19-20. 21-22 (R. 4a): 
Lembrai-vos, ó Senhor, de mim lembrai-vos, segundo o amor que demonstrais ao vosso povo.
Evangelio: Mc 8,1-10: 
Comeram e ficaram satisfeitos.

Naqueles dias, havia de novo uma grande multidão e não tinha o que comer. Jesus chamou os discípulos e disse: 'Tenho compaixão dessa multidão, porque já faz três dias que está comigo e não têm nada para comer. Se eu os mandar para casa sem comer, vão desmaiar pelo caminho, porque muitos deles vieram de longe.' Os discípulos disseram: 'Como poderia alguém saciá-los de pão aqui no deserto?' Jesus perguntou-lhes: 'Quantos pães tendes?' Eles responderam: 'Sete.' Jesus mandou que a multidão se sentasse no chão. Depois, pegou os sete pães, e deu graças, partiu-os e ia dando aos seus discípulos, para que os distribuíssem. E eles os distribuíam ao povo. Tinham também alguns peixinhos. Depois de pronunciar a bênção sobre eles, mandou que os distribuíssem também. Comeram e ficaram satisfeitos, e recolheram sete cestos com os pedaços que sobraram. Eram quatro mil, mais ou menos. E Jesus os despediu. Subindo logo na barca com seus discípulos, Jesus foi para a região de Dalmanuta.

Comentário

Nestes dias Marcos foi-nos convidando a entender a importância de promover um coração misericordioso, capaz de comover-se frente à necessidade do outro, rompendo todo tipo de divisões, tradições e costumes que o impedem. Hoje, Jesus multiplica pães para um grupo de pagãos. Por isso Marcos fala de sete e não de doze pães e cestos, para mostrar sua abertura a toda a humanidade sem distinção. Jesus convida-nos a imitar suas atitudes e sentimentos perante a necessidade do outro e assim, depois de olhar a realidade do próximo com os olhos de Deus, isso deve suscitar-nos um gesto, que será dom para os demais. Para tanto precisamos ter um coração livre de amarras e preconceitos. A missão de Jesus e a nossa, seus seguidores, alegres discípulos-missionários, não deve conhecer fronteiras; pelo contrário, somos chamados a derrubá-las, inclusive as do pensamento, para dar a conhecer que outro mundo é possível, partindo da solidariedade, da justiça, do amor e da paz.

Santo do Dia

S. Escolástica

480-547 ? virgem, monja e fundadora ? é invocada contra raios e para obter chuva ? \"Escolástica? significa \"professora, sábia?

Irmã de S. Bento, S. Escolástica nasceu em Núrsia, na Úmbria, Itália, por volta de 480. Foi a fundadora e primeira superiora da Ordem das Beneditinas. Ligados por profunda amizade, uma vez por ano, os irmãos costumavam fazer juntos uma caminhada a um pequeno oratório, próximo à abadia de Montecassino. Um dia, já pressentindo que Deus a chamava, Escolástica pediu que Bento ficasse com ela e passassem a noite conversando sobre as alegrias celestes. Diante da recusa do irmão, Escolástica suplicou a Deus, que fez abater forte tempestade que varou a noite, obrigando o homem de Deus a ficar com ela, \"infligindo? assim a regra do mosteiro. Três dias depois, estando em sua cela, S. Bento viu a alma de sua irmã, em forma de pomba, subir aos céus.