Consulta diaria

Primeira leitura: Atos 14,19-28: 
Reuniram a igreja e contaram quão grandes coisas Deus fizera com eles
Salmo: 144
Que teus fiéis, Senhor, proclamem a glória de teu Reino
Evangelio: Jo 14,27-31a: 
Dou-vos a minha paz

27 Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Não vo-la dou como o mundo a dá. Não se perturbe o vosso coração, nem se atemorize!
28 Ouvistes que eu vos disse: Vou e volto a vós. Se me amardes, certamente haveis de alegrar-vos, que vou para junto do Pai, porque o Pai é maior do que eu.
29 E disse-vos agora estas coisas, antes que aconteçam, para que creiais quando acontecerem.
30 Já não falarei muito convosco, porque vem o príncipe deste mundo; mas ele não tem nada em mim.
31 O mundo, porém, deve saber que amo o Pai e procedo como o Pai me ordenou.

Comentário

Nessa noite, Jesus fala de Paz. A palavra hebraica é "Shalom" e significa paz, harmonia, bem-estar, desejos de bem para quem recebe a saudação. O fruto do Espírito é a paz; por isso o crente pode manter a paz mesmo nos conflitos. Jesus não nos quer violentos nem medrosos, mas valorosos e decididos a trabalhar pelo bem comum. O príncipe deste mundo não tem poder sobre Jesus e tampouco sobre aqueles que são de Jesus. Por isso podem ser testemunhas da paz. A paz que nos oferece é a mesma que Ele viveu, uma vida simples, gratuita, generosa. As comunidades originárias andinas cultivam o sonho do Sumak Kawsay: o bem viver. Significa harmonia interior, com a comunidade e a natureza. A comunidade se compromete a transformar a realidade numa sociedade harmônica. Cada vez que a comunidade se reúne e proclama a Palavra, cada vez que um povo trabalha por seus direitos, cada vez que superamos o medo, Jesus se torna presente no meio de nós e nos diz: Shalom. Recebam minha paz.

Santo do Dia

S. André Bobola

1591-1657 ? jesuíta ? \"André? quer dizer \"varonil?, \"robusto?.


André Bobola foi um sacerdote jesuíta nascido em Pultondsk, Polônia, em 1591. Por volta de 1625, percorreu a Lituânia inteira, pregando a unidade entre os cristãos, reconduzindo muitos à fé cristã. Enfrentou, com coragem, determinação e paciência, a perseguição dos opositores não católicos, representados na sua maioria pelos cossacos. Os conflitos, entretanto, intensificaram-se, obrigando os jesuítas a abandonar tudo e buscar refúgio em Pinsk. Aos 16 de maio de 1657, encontrava-se em Janow, quando foi preso pelos cossacos que o acossaram feito um animal até Pinsk, fazendo-o correr e arrastar-se atrás de seus cavalos. Encerraram-no em um matadouro para lentos suplícios: o corpo foi sapecado, parte da pele retirada, foi escalpelado e mutilado, teve os olhos vazados e a língua arrancada. Foi canonizado por Pio XI, em 1938, que o declarou padroeiro da Polônia.