Consulta diaria

Primeira leitura: Jr 1,17-19: 
Comunica-lhes tudo que eu te mandar dizer: não tenhas medo em sua presença.
Salmo: Sl 70(71),1-2.3-4a.5-6ab.15ab e 17 (R. 15a): 
Minha boca anunciará vossa justiça.
Evangelio: Mc 6,17-29: 
Quero que me dês agora, num prato, a cabeça de João Batista.

 

Tema: Martírio de São João Batista (Memória)

Naquele tempo, Herodes tinha mandado prender João, e colocá-lo acorrentado na prisão. Fez isso por causa de Herodíades, mulher do seu irmão Filipe, com quem se tinha casado. João dizia a Herodes: "Não te é permitido ficar com a mulher do teu irmão". Por isso Herodíades o odiava e queria matá-lo, mas não podia. Com efeito, Herodes tinha medo de João, pois sabia que ele era justo e santo, e por isso o protegia. Gostava de ouvi-lo, embora ficasse embaraçado quando o escutava. Finalmente, chegou o dia oportuno. Era o aniversário de Herodes, e ele fez um grande banquete para os grandes da corte, os oficiais e os cidadãos importantes da Galileia. A filha de Herodíades entrou e dançou, agradando a Herodes e seus convidados. Então o rei disse à moça: "Pede-me o que quiseres e eu to darei". E lhe jurou dizendo: "Eu te darei qualquer coisa que me pedires, ainda que seja a metade do meu reino". Ela saiu e perguntou à mãe: "O que vou pedir?" A mãe respondeu: "A cabeça de João Batista". E, voltando depressa para junto do rei, pediu: "Quero que me dês agora, num prato, a cabeça de João Batista". O rei ficou muito triste, mas não pôde recusar. Ele tinha feito o juramento diante dos convidados. Imediatamente, o rei mandou que um soldado fosse buscar a cabeça de João. O soldado saiu, degolou-o na prisão, trouxe a cabeça num prato e a deu à moça. Ela a entregou à sua mãe. Ao saberem disso, os discípulos de João foram lá, levaram o cadáver e o sepultaram.

 

Comentário

Perseguição e martírio são sinais claros de que a mensagem de Jesus está andando no meio da história. Hoje como ontem, testemunhas comprometidas com o evangelho da vida, paz, justiça e verdade continuam sendo perseguidas e eliminadas. Quando a mensagem evangélica se torna profética, aqueles que detêm o poder marcado pela violência, a corrupção e a opressão não podem suportar a força transformadora do Reino. Assim, foi João Batista, o precursor do Messias Libertador, que convidou a conversão radical do coração, tornando sua vida um sinal de denúncia das estruturas do pecado e da morte. Aquele que imergiu Jesus nas águas do Jordão para revelar a complacência do Pai com a missão do Filho e a solidariedade com a história humana. Ele foi capaz de enfrentar o déspota mais poderoso que foi denunciado por sua corrupção, não apenas por adultério, mas por manter um sistema desumanizante completamente contrário ao plano libertador da salvação de Deus. Você vive autenticamente o seguimento de Jesus até as últimas consequências?

Santo do Dia
Martírio de S. João Batista
c. +29 ? profeta e precursor de Jesus ? \"João? significa \"Deus
é misericordioso?

Já no século V celebrava-se, na França, a festa do Martírio de S. João Batista. Precursor de Jesus, João Batista era filho do sacerdote Zacarias e de Isabel, parenta da Mãe de Jesus. Profeta itinerante, anunciava a proximidade do Reino e conclamava o povo a um batismo de conversão. O próprio Jesus foi batizado por ele no Jordão. Afrontou abertamente Herodes, censurando-o pela sua conduta depravada (Mt 14,1-12), o que lhe custou a prisão e a decapitação. S. Beda Venerável disse a seu respeito: Aquele que proclamava o Evangelho da liberdade
da paz celeste foi lançado por ímpios às cadeias; foi fechado na escuridão do cárcere quem veio dar testemunho da luz e por esta mesma luz, que é Cristo, tinha merecido ser chamado de lâmpada ardente e luminosa... (cf. Liturgia das horas, p. 1238, v. IV).