Consulta diaria

Primeira leitura: Ez 24,15-24: 
Ezequiel servirá para vós como sinal: fareis exatamente o que ele fez.
Salmo: Dt 32,18-19. 20. 21 (R. Cf. 18a): 
Esqueceram o Deus que os gerou.
Evangelio: Mt 19,16-22: 
Se tu queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens, e terás um tesouro no céu.

 

 

Alguém aproximou-se de Jesus e disse: 'Mestre, o que devo fazer de bom para possuir a vida eterna?' Jesus respondeu: 'Por que tu me perguntas sobre o que é bom? Um só é o Bom. Se tu queres entrar na vida, observa os mandamentos.' O homem perguntou: 'Quais mandamentos?' Jesus respondeu: 'Não matarás, não cometerás adultério, não roubarás, não levantarás falso testemunho, honra teu pai e tua mãe, e ama teu próximo como a ti mesmo.' O jovem disse a Jesus: 'Tenho observado todas essas coisas. O que ainda me falta?' Jesus respondeu: 'Se tu queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens, dá o dinheiro aos pobres e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me.' Quando ouviu isso, o jovem foi embora cheio de tristeza, porque era muito rico.

 

Comentário

"Vai, vende tudo o que tens, dá o dinheiro aos pobres e terás um tesouro no céu". Este é o convite que Jesus faz ao jovem rico, estende a mão a todos os que querem abraçar a causa cristã. Jesus convoca o jovem, e nele os seguidores do Reino, a viver de uma nova maneira: sem aprisionamento, sem egoísmo, em total liberdade. Jesus chama seus seguidores a viver na perfeição que o Pai Deus exige. O apego aos bens é constituído pelo grande engano, é a sedução que sufoca o coração, a mente, a própria vida. O amor à riqueza é o começo de todos os males da comunidade; a riqueza constitui uma verdadeira idolatria que exclui do Reino e possibilita a morte do irmão na história. Aceitar a proposta de Jesus traz consigo a exigência de renunciar a tudo o que contradiz a novidade que Ele comunica com a liberdade que ele próprio abraçou, a liberdade que ele mesmo decidiu viver.

Santo do Dia
S. Roque
1350-1379 ? eremita ? \"Roque?, \"homem grande e forte?
? patrono dos inválidos

Natural de Montpellier, França, Roque teria nascido com uma cruz rubra estampada no peito. Foi-lhe dado o dom de curar enfermos, traçando-lhes na testa o sinal de uma cruz. Durante as epidemias, curou a muitos; e, doente ele também, retirou-se numa choupana onde recebeu ajuda de um anjo e de um de cão que lhe trazia alimento. Mais tarde retornou à cidade natal passando a viver ali como indigente, mas foi preso, condenado à morte e executado, sob a acusação de ser espião disfarçado em mendigo. Foi quando descobriram pela cruz gravada no peito que se tratava de Roque. É invocado com a seguinte oração: S. Roque, vos dedicastes de corpo e alma ao cuidado dos doentes, e Deus, para provar vossa fé e confiança, permitiu que contraísseis a doença. Mas esse mesmo Deus, por meio de um cão, vos alimentou de modo milagroso e também milagrosamente vos curou. Protegei-me contra as doenças infecciosas, livrai-me do contágio dos bacilos, defendei-me da poluição do ar, da água e dos alimentos. Enquanto eu estiver saudável, vos prometo rezar pelos doentes e fazer o possível para aliviar suas dores e sofrimentos... S. Roque, abençoai os médicos, fortalecei os enfermeiros e atendentes dos hospitais, curai os doentes, defendei os que têm saúde contra o contágio e a poluição.